Brasil passa de 4 milhões de casos de dengue; mortes chegam a 1.937

O Brasil passou de 4 milhões de casos de dengue registrados neste ano, conforme atualização do Painel de Monitoramento das Arboviroses do Ministério da Saúde nesta segunda-feira (29).

Brasil passa de 4 milhões de casos de dengue; mortes chegam a 1.937

O Brasil passou de 4 milhões de casos de dengue registrados neste ano, conforme atualização do Painel de Monitoramento das Arboviroses do Ministério da Sa√ļde nesta segunda-feira (29). No total, 4.127.571 casos prov√°veis da doença notificados em todo o pa√≠s nos quatro primeiros meses.

Quanto às mortes por dengue, 1.937 foram confirmadas e 2.345 estão sob investigação. O coeficiente de incid√™ncia da doença no pa√≠s é 2.032,7 casos para cada 100 mil habitantes.

A faixa et√°ria mais afetada é de 20 a 29 anos, que concentra a maior parte dos casos. J√° a faixa et√°ria menos atingida é a de crianças menores de 1 ano, seguida por pessoas com 80 anos ou mais e por crianças de 1 a 4 anos.

As unidades da Federação com maior incid√™ncia da doença são Distrito Federal, Minas Gerais, Paran√°, Esp√≠rito Santo, Goi√°s e Santa Catarina.

Projeções divulgadas no in√≠cio do ano apontam que os casos da dengue no pa√≠s podem chegar a 4.225.885 de casos.

Combate à dengue

O Ministério da Sa√ļde e o governo de Minas Gerais inauguraram nesta segunda-feira (29), em Belo Horizonte, a Biof√°brica Wolbachia. A unidade, administrada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), vai permitir ao Brasil ampliar sua capacidade de produção de uma das principais tecnologias no combate à dengue e outras arboviroses.

A Wolbachia é uma bactéria presente em cerca de 60% dos insetos na natureza, mas ausente naturalmente no Aedes aegypti. O chamado método Wolbachia consiste em inserir a bactéria em ovos do mosquito em laboratório e criar Aedes aegypti que portam o microrganismo. Infectados pela Wolbachia, eles não são capazes de carregar os v√≠rus que causam dengue, zika, chikungunya ou febre amarela.

Arte/Agência Brasil